quinta-feira, 29 de junho de 2017

O final de Pretty Little Liars

Após uma sequência de sete temporadas, Pretty Little Liars chegou ao fim. Reconheço que não estava tão ansiosa como quando descobrimos a identidade de -A (ver aqui: https://cantosuperiordireito.blogspot.pt/2016/01/a-identidade-de-a_29.html). As teorias dos fãs era muitas, mas a mais apontada afigurava-se perfeitamente adequada ao desenvolvimento que os produtores estavam a dar à série.

De forma concisa, apresento a seguir o meu parecer sobre os pontos mais significativos deste final.



1) O desfecho dos casais revelou-se demorado e alguns aspetos um tanto desnecessários. A resolução de cada história de amor ocupou uma grande parte do episódio, que deveria ter sido aproveitada para explicar melhor as motivações de AD. Penso que a trama que precisou mesmo de uma atenção maior foi a da Emily e Alison e as suas gémeas.


Fonte: https://pmctvline2.files.wordpress.com/2016/10/pll-finale-031.jpg?w=700&h=467




2) O destaque dado à personagem Mona pareceu-me forçado. Sou da opinião que seria favorável resgatar algumas personagens do passado e fazê-las contribuir para o final. No caso da Mona, foi alguém que basicamente levou todos os créditos, quando existiam muitas outras figuras que poderiam desempenhar o papel dela em algumas situações. (Contudo compreendo que os compromissos profissionais impeçam alguns atores de fazer participações em PLL, e os produtores tenham de aproveitar os que se encontram mais disponíveis.)




3) A revelação de AD mostrou-se previsível (referi acima o facto de os fãs preverem este final). A história foi no meu entender fraca e pouco sólida para a vilã que conhecemos. Houve um reaproveitamento do parentesco gémeas e creio que mesmo que a produtora, Marlene King, quisesse, não conseguiria selecionar uma personagem que viesse responder a todas as questões sem resposta ao longo da série.



4) A interpretação da Troian Bellisario como Alex Drake (AD) precisou ser aplaudida de pé. Ela trouxe uma criatura insana e inteligente. Aliás, AD só poderia ser uma dupla da personagem Spencer, uma gémea, já que ela era a figura mais completa para tal. O aparente reflexo da Spencer que depois veio a revelar a sua gémea transbordou genialidade. O próprio covil construído por AD me lembrou o filme "O silêncio dos inocentes" e a prisão onde Hannibal Lecter estava enclausurado.


Fonte: http://apaixonadosporseries.com.br/wp-content/arquivos/2017/06/PLL-7x20-series-finale.gif




Confesso que apesar de todos as lacunas, o facto de a minha personagem favorita ser a End Game me deixou muito contente. Sem desmerecer o desempenho da Vanessa Ray (-A), irrepreensível, a Troian Bellisario mereceu ser esta vilã pela grande e empenhada atriz que se fez em PLL.

O meu repúdio em relação a finais, estende-se também às séries, portanto sim, sentirei saudades das frases em Latim proferidas pela Spencer, dos planos inteligentes de AD, de alguns casais e das situações bem construídas.... na verdade, também de tudo menos bom, mas


Fonte: https://i.ytimg.com/vi/pwIF8HAd2Ak/hqdefault.jpg



Escrito por Mariana Pinto

2 comentários:

  1. Eu que não vejo a serie desde a 4 season acabei de ficar a saber umas coisinhas interessantes =P

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Peço desculpa pelos spoilers mas não podia deixar de aplaudir o desdobramento da atriz Troian Bellisario :)
      Beijinhos

      Eliminar